segunda-feira, 27 de julho de 2009

LAGARTIXAS CHEGARAM AQUI ATRAVÉS DOS NAVIOS NEGREIROS



Gekkonidae (geconídeos) é uma família de répteis escamados da família dos lagartos, que inclui os animais vulgarmente designados por lagartixas (no Brasil) ou osgas (em Portugal).
O grupo, originário da África, encontra-se espalhado em todas as zonas temperadas e quentes do mundo. São muito importantes para o meio ambiente porque, como insetívoros, funcionam como "controladores" de pragas domésticas.
As lagartixas podem subir paredes – inclusive de vidro – e até andar na superfície de tetos graças às forças de van der Waals estabelecidas pelas cerdas existentes nas suas patas.
Algumas espécies apresentam capacidade de camuflagem similar à do camaleão. Outras comunicam-se entre si através de ruídos – o que não é muito comum entre lagartos.
A lagartixa é um réptil porque possui respiração estritamente pulmonar, sua circulação é fechada, dupla e completa, possui pele seca e recoberta por escamas. É pecilotérmica e o sistema digestivo é completo.

Classificação científica

Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Reptilia
Ordem:Squamata
Subordem:Sauria
Família:Gekkonidae
Subfamília:Gekkoninae
Género:Hemidactylus
Espécie:H. frenatus
Nome binomial:Hemidactylus frenatus
Schlegel, 1836

FONTE: WIKIPEDIA

sexta-feira, 24 de julho de 2009

TUCANOS


Bico de tucano funciona como ar condicionado, afirma pesquisa
Brasileiros e canadense mostram que órgão ajuda a dispersar calor.
Função do apêndice, o maior de todas as aves, era misteriosa.
Reinaldo José Lopes Do G1, em São Paulo
Não existe nada mais chamativo do que o amarelo-vivo de um bico de tucano, mas o que realmente importa está debaixo da "pintura" vistosa do apêndice: vasos sanguíneos. Uma rede sofisticada de artérias e veias que, conforme acaba de demonstrar um trio de pesquisadores, dois dos quais brasileiros, ajuda o bicho a liberar o excesso de calor de seu corpo, como uma forma biológica de ar condicionado. Depois de séculos especulando sobre a possível função desse órgão tão peculiar, os cientistas finalmente parecem ter chegado a uma resposta sólida.
"Peculiar", aliás, é eufemismo. Darwin, Buffon e outros naturalistas pioneiros ficaram bobos diante do apêndice do tucano-toco (Ramphastos toco) porque, proporcionalmente falando, ele é o maior bico entre todas as aves conhecidas. Mas a tríade de pesquisadores formada por Denis Andrade, Augusto Abe (ambos do Departamento de Zoologia da Unesp de Rio Claro, no interior paulista) e Glenn Tattersall (da Universidade Brock, no Canadá) percebeu um detalhe importante. O bicão do tucano-toco preenche todos os requisitos para funcionar como um radiador termal, ou "ar condicionado" biológico: tamanho avantajado, grande presença de vasos sanguíneos (ou vascularização, como se diz) e contato direto com o ambiente.
FONTE:G1

quarta-feira, 15 de julho de 2009

CHOREI DE TANTO RIR - VEJAM

video

3 ENTRE 4 IDOSOS NO BRASIL SÃO BANGUELAS


VOCÊ SABIA QUE A CÁRIE É UMA DOENÇA PROVOCADA POR BACTÉRIA E É CONTAGIOSA.
COMO EVITAR QUE ISSO ACONTEÇA COM VOCÊ:
1- Escovar os dentes regularmente após cada refeição e antes de dormir (sem pressa).
2- Use o fio dental sempre, antes e depois de escovar os dentes.
3- Diminuir o consumo de doces, se consumir, escovar os dentes.
4- Caso não possa escovar, faça ao menos um enxague com água, depois das refeições.
5- Use um enxaguatório bucal, ajuda a remover as placas bacterianas.
6- Use cremes dentais com fluor.
7- Visite o dentista regularmente (3 em 3 meses).

segunda-feira, 13 de julho de 2009

COLIFORMES FECAIS -



Imagine só: Você tem mais bactérias dentro do seu corpo do que células humanas.
É isso mesmo. Não adianta fazer cara de nojo. Se você desmontar o corpo humano inteiro, célula por célula, e separar o que é bactéria de um lado e homem do outro, os micróbios ganham de lavada.
Segundo algumas estimativas, o organismo humano é formado por aproximadamente 10 trilhões de células (o número 1 seguido de 13 zeros). Mas o número de bactérias vivendo no nosso intestino pode ser 10 vezes maior: 100 trilhões! Isso só é possível, claro, porque cada bactéria é muito menor do que uma célula humana.
Ainda assim, é tanta bactéria que, juntas, elas podem pesar até 4 quilos! A maior parte dos micróbios vive no sistema digestivo. O intestino grosso é uma verdadeira salsicha de bactérias - a chamada flora intestinal. E isso é ótimo, pois elas são essenciais para a nossa capacidade de digerir certos carboidratos complexos e para outros serviços metabólicos em geral, como a reabsorção de água e nutrientes pelo intestino.
Trata-se de uma relação benéfica para ambos os lados. As bactérias prestam seus vários serviços digestivos (sem elas não conseguiríamos digerir o amido, por exemplo, um importante carboidrato de batatas e cereais) e, em troca, recebem carta branca para viver dentro de nós sem serem importunadas. De alguma forma o sistema imunológico, que normalmente ataca qualquer coisa estranha que aparece pela frente, reconhece que essas bactérias são benéficas e permite que elas fiquem por lá. Mas os cientistas não sabem exatamente como isso funciona, ainda.
Só no intestino grosso estima-se que haja cerca de 500 espécies de bactérias. Talvez milhares! Entre elas, não poderia faltar a nossa querida Escherichia coli, mais conhecida como coliformes fecais, que infelizmente nunca recusa um convite para ir à praia ou tomar um banho de rio.
Segundo o microbiólogo e médico infectologista Vincent Young, da Universidade do Estado de Michigan, nos EUA, as bactérias começam a invadir nosso organismo imediatamente no nascimento, quando o bebê passa pela canal uterino da mãe. Mas o tamanho e a composição da flora intestinal variam de pessoa para pessoa, dependendo de fatores como dieta, uso de antibióticos e “quanta terra você comeu quando criança” - literalmente!
Estudos indicam que seria possível viver sem a ajuda dessas criaturinhas, mas nossa dieta precisaria ser bastante diferente.
FONTE: JORNAL O ESTADÃO 23.01.08.

CUIDADO COM AS AREIAS DAS PRAIAS

DA ZONA SUL DO RIO DE JANEIRO.
Estudo é do Instituto de Pesquisas Biomédicas da Gama Filho.
No Leme, há 100 vezes mais coliformes do que o tolerável.
Banhistas e crianças que frequentam as areias de praças e praias da Zona Sul no Rio correm risco de contrair doenças infecciosas. Um estudo realizado pelo Instituto de Pesquisas Biomédicas da Universidade Gama Filho identificou um nível de bactérias, fungos e parasitas intestinais até 100 vezes maior do que o tolerado.
De acordo com a pesquisa, os fungos encontrados são provenientes de material orgânico (fezes ou esgoto) de origem humana e animal e pode causar diversos tipos de doença.
Enquanto o padrão recomenda até 400 coliformes fecais e 1000 fungos em 50 gramas de areia, nas areias da praia do Leme foram encontrados 44 mil coliformes e 5 mil fungos.
Na praia do Leblon, próximo ao Baixo Bebê, foram identificados 5 mil fungos e 920 coliformes em 50 gramas de areia. E na Praça Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, foram encontrados 5 mil fungos e 9,6 mil coliformes fecais.
De acordo com o estudo, cuja pesquisa de campo foi feita no mês passado, o grande alvo dessas contaminações são as crianças, já que muitas vezes elas não têm a imunidade do corpo bem desenvolvida.
FONTE: G1 GLOBO.COM

LUZ DE VELAS


Adoro a luz que uma vela dá. Não porque seja fetiche, mas porque uma vela é sempre uma vela. E tem uma luz suave, calma, doce, que oscila a cada mínima corrente de ar. A luz de uma vela faz pensar em coisas bonitas românticas, principalmente quando nos encontramos sós. Luz de vela tem paixão e carisma. É luz de sonho de poesia de sombras passageiras que se movem fugazes, na nossa mente e nos transporta a outras paragens, outras sensações outros instintos. Luz de vela é imaginação é romance, quantas vezes a iluminar um beijo. Luz de vela é calor que faz tremer tanto a chama como os sentidos quando estamos com quem amamos. Luz de vela empresta um brilho especial aos olhos e uma tonalidade de mel ao corpo. Luz de vela é amor verdadeiro, sem sentimentos recalcados nem receios. Não há mais nada entre duas pessoas que se amam a não ser o silencio do brilho de uma vela. E quando se apaga, fica o vazio da alma e o gelo no coração. Até acender de novo outra vela, que ilumine o amor e faça de novo haver paixão.
Fonte:misterios blog de Portugal.

sábado, 11 de julho de 2009

PROFESSORES NÃO DEIXEM DE LER

Carlos Alberto Rabaça: Homem verdadeiro
Sociólogo e professor
Rio - A crise da educação brasileira vem de longe. Além de não ser prioridade de sucessivos governos, não há estímulo à carreira do professor, nem financeiro, nem motivacional. Os pretendentes ao magistério diminuem a cada ano. Agora, como encanto, surge nova ideia: demitir os maus professores, sem que se faça um real diagnóstico das condições em que trabalham.
Ensinar para cumprir estatísticas é um desastre. Ensinar e aprender são formas que passam pelo entusiasmo. É dançar sobre um vulcão. É desenvolver, com valores, criaturas que emergem para a vida. Aprender não é somente receber o que foi dado como um biscoito gostoso. Se o jovem para na degustação da guloseima, ela fica só na excitação do sabor. Mas saber é sabor, prazer e dor. Saber e sabor têm a mesma origem. Se o saber não for gostoso, ou se o sabor não causar dor — a hora em que ameaça terminar — o saber e o sabor não produzirão o conhecimento. Só o bom professor leva o aluno a aventurar-se, a enfrentar desafios, primeira condição para aprender.
O professor tem que ser apaixonado, magnético, ao mesmo tempo dramático e doce. Um formador de futuras gerações, ora advertindo-as, ora exortando-as, ora conclamando-as para tomadas de posição enérgicas, sobretudo contra negativismos e más práticas, como o desrespeito em nosso país.
Ou as autoridades estimulam o trabalho do professor, ou se estabelecerá o caos com a juventude que sai da escola desmotivada e sem princípios. Só o bom mestre formará o homem verdadeiro, prático, progressista, cultivando a eficiência, acreditando na evolução. Do contrário, caminharemos trôpegos para um destino miserável.
FONTE: JORNAL O DIA DE 11/07/2009.

AQUECIMENTO GLOBAL - EXISTE UMA SAÍDA.

AQUECIMENTO GLOBAL - VEJAM A REALIDADE

AIDS - VALE A PENA PERDER 11 MINUTOS

terça-feira, 7 de julho de 2009

ESTA ESTÁ DE PARABÉNS - 15 FILHOTES

MÃES INCRÍVEIS - ELAS PERDERAM OS FILHOTES





E ELES PERDERAM AS MÃES.

MINHA PARTE PELO MEIO AMBIENTE

INICIEI A LISTA COM 7 ITENS, ESTOU MELHORANDO.
1- Troquei todas as pilhas por recarregáveis
2- Todas as lâmpadas de casa são frias de longa duração
3- Vou as compras com sacolas de pano
4- As sobras das folhas que imprimo são recortadas e transformadas em blocos para anotações
5- Reaproveito as garrafas pet para guardar outras coisas
6- Peço aos meus alunos que enviem seus trabalhos por email - evita o gasto de papel e tinta.
7- Faço cópias das atividades para uma turma,os alunos fazem a atividade e deixam a matriz em branco, que será utilizada em outra turma. Todos recebem a atividade por email.
8- utilizo o pen drive e não o CD ou DVD.
9- Não jogamos sobras de comida no lixo, utilizamos o necessário apenas.
10- Lavamos o quintal com a água do enxague da máquina de lavar.
11- Utilizamos a capacidade total da máquina de lavar.
12- Plantamos mudas que se transformaram em árvores.
13- Compramos móveis com madeira certificada.
14- Utilizamos produtos de empresas preocupadas com o ambiente.
E você o que já está fazendo...

segunda-feira, 6 de julho de 2009

2009 - ANO DO GORILA





Os gorilas são mamíferos primatas pertencentes ao género Gorilla, endémicos das florestas tropicais do centro da África. O fato de compartilharem 98%-99% do DNA com os seres humanos faz dos gorilas o parente vivo mais próximo, logo depois dos chimpanzés[1]. O gorila é o maior primata atualmente.
Os gorilas vivem em florestas tropicais ou sub-tropicais. Apesar da sua área de distribuição abranger apenas uma pequena percentagem de África, os gorilas existem numa grande variedade de altitudes. Os gorilas-de-montanha (Gorilla beringei beringei) habitam as florestas montanhosas do Albertine Rift, existendo entre os 2.225 até aos 4.267 m. Os gorilas-do-ocidente moram em florestas densas e pântanos das terras baixas e marisma até ao nível do mar.
Os machos medem entre 1,65 e 2 metros de altura, e pesam entre 170 e 250 kg e as fêmeas a metade do peso dos machos, sendo considerado o maior dos primatas da atualidade. É capaz de levantar até 2 toneladas com os dois membros anteriores.
Os gorilas, geralmente, se locomovem em quatro patas. As suas extremidades anteriores são mais longas que as posteriores e semelhantes a braços, ainda são utilizadas também como ponto de apoio ao caminhar.
A estrutura facial do gorila é denominada de "mandíbula protuberante", já que ela é muito maior que o maxilar.
A gestação dura oito meses e meio e normalmente a próxima gestação só ocorre três ou quatro anos depois o nascimento, tempo este que os filhotes convivem com a mãe. A maturidade sexual é atingida entre 10 e 12 anos pelas fêmeas e entre 11 e 13 anos pelos machos, podendo ser modificados estes anos com a vivência nos cativeiros. E a esperança de vida oscila entre os trinta e cinqüenta anos, o record nesta categoria está com um gorila dum zoológico da Filadélfia que morreu aos 54 anos.
Sua dieta alimentar é, em grande parte, herbívora, uma vez que alimentam-se de frutas, folhas, brotos, mas também os insectos compõem menos de 2% do seu cardápio.
Todos os gorilas compartilham o mesmo tipo sangüíneo, o tipo B, e assim como os humanos, cada um indivíduo possue uma impressão digital única.
CLASSIFICAÇÃO CIENTÍFICA:
Domínio: Eukariota
Reino: Animalia
Subreino: Metazoa
Filo: Chordata
Subfilo: Vertebrata
Infrafilo: Gnathostomata
Superclasse: Tetrapoda
Classe: Mammalia
Subclasse: Theria
Infraclasse: Placentalia
Superordem: Euarchontoglires
Ordem: Primates
Subordem: Haplorrhini
Infraordem: Simiiformes
Parvordem: Catarrhini
Superfamília: Hominoidea
Família: Hominidae
Subfamília: Homininae
Género: Gorilla
Gorilla gorilla
Savage, 1847
FONTE:WIKIPEDIA

PARA CADA PAULISTANO SÃO 5 RATOS




Rattus rattus
Sim é verdade para cada habitante da cidade de São Paulo encontramos 5 ratos.Já em Nova York a proporção é de 10 ratos para cada habitante da grande metróplole.
Uma ratazana é capaz de gerar de uma só vez até 12 filhotes,em média de 5 a 6 filhotes, a gestação dura entre 19 e 20 dias, os filhotes desmamam com 18 dias. Os filhotes em 3 meses atingem a fase adulta e estão prontos para reproduzir.Um rato pode viver de 3 a 6 anos.
O rato-preto (Rattus rattus) é uma espécie de ratazana, também conhecida como rato-de-telhado, rato-caseiro ou rato-inglês e, no Nordeste brasileiro, como gabiru ou rato-de-couro, no Ceará é conhecido como guabiru e são muito maiores que os normalmentes visto em todo o nordeste. O rato-preto surgiu no Sudeste da Ásia, e depois passou a ser encontrado na Europa por volta do século VIII, na África no século XVI e na América do Norte no século XVII. Na América do Sul, chegou junto com as expedições dos primeiros exploradores, tendo seu primeiro registro em 1544, no Peru.
Seu refúgio em barcos e também a urbanização de seu habitat, eliminando os possíveis predadores de sua espécie, são alguns dos fatores que têm contribuído para sua proliferação, tornando-os verdadeiros comensais humanos.
O rato-preto é encontrado sempre em grupo, formado por 1 macho e 2 ou 3 fêmeas. Seu abrigo, onde também guarda seu alimento, é construído com o material que encontrar. Os ninhos são geralmente acima do solo nos sótãos, forros das casas, arbustos, sacarias, frestas de muros, armazéns, porões de navios e nas áreas portuárias.
Sua gestação é de 21 dias, e a fêmea fica grávida novamente no mesmo dia que nasce a primeira ninhada. Os filhotes que nascem são desmamados após três semanas, e sua maturidade sexual, fase em que já atingiu todo seu desenvolvimento, é observada aos três meses de idade.
Em áreas urbanas este rato possui hábitos noturnos. Mede cerca de 40 cm, possuindo cauda maior que o comprimento da cabeça e corpo, orelhas longas quase sem pêlos e pés sem membranas interdigitais. As suas fezes são afiladas e são visiveis nas zonas onde habita.
A sua alimentação diária é baseada em cerca de 15 a 30 g de legumes, frutas, cereais, raízes e pequenos insetos. Também consomem cerca de 15 a 30 ml de água por dia.
O rato-preto pode ser um perigo para a saúde pública visto que está associado a doenças perigosas como peste bubónica, tifo e toxoplasmose, por exemplo.
CLASSIFICAÇÃO CIENTÍFICA:
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Rodentia
Família: Muridae
Subfamília: Murinae
Género: Rattus
Espécie: R. rattus
Lineu, 1758
FONTE:WIKIPEDIA